quinta-feira, 9 de abril de 2015

CICLOS DA VIDA


Hab.3:17 – “Porquanto ainda que a figueira não floresça, nem haja fruto na vide, o fruto da oliveira minta e os campos não produzam mantimento, as ovelhas  da malhada seja arrebatada e nos currais não haja vaca.”
Invernos longos, chuvas prolongadas, secas intensas, nada pode interromper nossa comunhão com Deus.
A vida é composta de diversos ciclos e há um tempo para tudo: tempo para sorrir, tempo para chorar, tempo para plantar e tempo para colher...(Ecl.3)
Salomão, em toda a sua sabedoria  nos deixou esta reflexão.
É nos momentos de grandes dificuldades, ainda que as calamidades nos assolem é que precisamos manter firme a nossa aliança com Deus. Em qualquer tempo,  precisamos deixar que Ele esteja no controle, é as intempéries nos aproximam mais do Criador.
Nossa fidelidade é o ponto de partida para a vida eterna, aconteça o que acontecer, não podemos deixar o Deus da nossa salvação, a nossa rocha eterna, nosso muro de arrimo, seja na alegria ou na tristeza.
Na alegria ou na tristeza...
É comum nas celebrações de casamento o uso destas palavras. O real significado é que uma aliança não deve ser quebrada quando as dificuldades aparecem, todo o pacto precisa ser honrado para perpetuar seu valor, e o apoio recíproco é fator preponderante para se sair da crise.
Precisamos manter nossa aliança com Deus. Toda a casa bem construída é firmada na Rocha.
Mt.7:24 – “Todo aquele pois que escuta as minhas palavras e as pratica, assemelha-se ao homem prudente, que edificou sua casa sobre a rocha, e desceu a chuva e correram os rios, e assopraram os ventos e combateram aquela casa e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.”
Quando somos edificados em terreno firme, não há chuvas ou ventos que abalem nossos alicerces.
Veja as palavras que um judeu desesperado, vítima do holocausto, deixou impresso em uma parede de uma casa abandonada na Alemanha:
Eu creio no sol, mesmo quando ele não brilha.
Eu creio no amor, mesmo quando não é demonstrado.
Eu creio em Deus, mesmo quando ele se cala.

Nenhum comentário: