terça-feira, 21 de setembro de 2010

A GRANDE REVELAÇÃO DE PEDRO

Mt.16:17,19 – “E Jesus respondendo disse: Bem-aventurado és tu Simão Barjonas, porque não to revelou a carne nem o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. Pois eu também te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. E te darei as chaves do reino dos céus, e tudo o que ligardes na terra, será ligado nos céus, e tudo o que desligardes na terra será desligado dos céus.”
Muitos associam esta passagem como a pedra fundamental ou a iniciação da igreja primitiva; outros, como se Pedro fosse o fundador da nova assembléia, como ele sendo o primeiro papa, mas a realidade, é que as chaves do reino dos céus é a autoridade que nos foi dada, não somente à Pedro, mas a todos nós.
Muitas vezes agimos ou falamos premidos por uma força maior e esta força despertada espontaneamente; á a ação do Espírito Santo movendo, trazendo revelações vindas diretamente do coração de Deus, foi assim que Pedro recebeu a grande revelação, que Jesus era o Filho de Deus; e é sobre a égide de Jesus que está fundamentada a igreja.
Também existem pessoas chaves em nossas vidas, são pessoas que carregam bênçãos para serem distribuídas.
Hb.13:1,2 – “Permaneça a caridade fraternal, não esqueçam da hospitalidade, porque por ela, alguns, não o sabendo, hospedaram anjos.”
Em algum momento, poderemos deparar com estes enviados em nosso cotidiano, como anjos disfarçados, e o conselho é que possamos sempre ser amorosos hospitaleiros no seu trato.
Algumas chaves nos são transferidas para executarmos os planos de Deus, para abrirmos portas que estão fechadas e que de alguma forma dependem de nosso comprometimento para com nossos irmãos, para salvação, cura, ou até prosperidade.
A chave da prosperidade da família de Jacó estava nas mãos de seu filho José, pois através dele, sua família foi abençoada e teve o escape da fome (Gn.37).
A chave da cura de Naamã, estava nas mãos da menina judia que era serva de sua mulher e lhe apontou o profeta que o livrou da lepra (II Re.5:1,27).
Os caminhos e os pensamentos de Deus são insondáveis e mais elevados que os nossos, portanto, não se ache melhor, porque poderá estar perdendo bênçãos trazidas por seus mensageiros.

Nenhum comentário: