sexta-feira, 27 de março de 2015

SEMANA DA PAIXÃO


Zc.9:9 – “Alegra-te muito, ó filha de Sião, exulta. Ó filha de Jerusalém; eis que virá a ti , justo e Salvador, pobre e montado em um jumento, e sobre um jumentinho, filho da jumenta.”
Desde sua entrada triunfal em Jerusalém, Jesus montado num jumentinho, cumpria-se assim esta antiga profecia. A multidão o aclamava com alegria e como o enviado do Senhor, Rei de Israel, ao gritarem “Hosana”.
Mas tudo isto não comoveu os sacerdotes, que não aprovaram esta forma de exaltação, pois, de certa forma queriam justificar suas atitudes erradas, porque estavam sendo visivelmente apontadas por Jesus.
Na quinta-feira é preparado o banquete da despedida, que deu novo sentido à ceia pascal: o pão e o vinho seriam o marco para lembrança ou em memória de sua passagem entre nós. (Lc.22:19,20)
Mc.14:26 – “E, tendo cantado um hino, saíram para o Monte das Oliveiras.”
Um hino de louvor não foi esquecido. Depois disto, alguns discípulos se dispersaram e Ele foi orar, e em sua agonia derramou lágrimas de sangue.
Mc.16:36 – “E disse: Aba, Pai, todas as coisas te são possíveis, afasta de mim este cálice; não seja, porém, o que eu quero,  mas o que tu queres.”
Em sua total obediência, seguiu o seu destino: a cruz do Calvário, onde foi crucificado entre dois malfeitores.
Não precisamos falar sobre todas as fases de seu sofrimento e humilhação que são tão conhecidas, porque o propósito de toda esta dor era a nossa imolação, pois ele representava nossas dores e nossos pecados.
II Co.5:21 – “Aquele que não conheceu o pecado, o fez por nós, para que nele fôssemos feitos justiça de Deus.”
Foi sepultado antes das seis horas da tarde, antes do descanso sabático, para que não houvesse interrupção das tradições judaicas.
Chegado o domingo, às primeiras horas da manhã, as mulheres foram visitar seu túmulo, mas eis que estava vazio; completava-se assim o histórico da ressurreição.
Ele ressuscitou!
Este é o brado que precisamos dar!
Através de sua morte e ressurreição, Cristo redimiu toda a raça humana. A ressurreição de Jesus foi a vitória sobre o pecado e a morte, e esta é uma das verdades essenciais do evangelho.
I Co.15:54b,57 – “Tragada foi a morte na sua vitória. Ora o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei. Mas graças a Deus que nos dá vitória por Nosso Senhor Jesus Cristo.”

Nenhum comentário: