domingo, 12 de fevereiro de 2017

RECEBENDO A FILIAÇÃO DE DEUS





 Lc.7:11 – “Pois vós, sendo maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais dará o vosso Pai Celestial, o Espírito Santo aqueles que lhe pedirem.”
Qual é a sua posição diante de Deus: filhos ou criaturas?
Por nascermos com livre-arbítrio temos o direito de escolhermos se o queremos como nosso Pai.
Através de Jesus seu filho Unigênito, tivemos acesso a esta filiação, se aceitarmos que este acesso ao Pai foi feito através de sua morte sacrificial. Jesus se transformou de Unigênito, o único gerado, em Primogênito, o primeiro de muitos; e nossa nova posição nos transforma em co-herdeiros com Cristo.
Rom.8:17 – “E, se somos filhos, somos logo herdeiros de Deus, e co-herdeiros de Cristo; se é certo que com Ele padecemos, para que com Ele sejamos glorificados.”
Ao recebermos esta nova filiação, recebemos uma nova vida (Jo.3:3), nos tornando parte desta nova família, recebendo os mesmos cuidados e o mesmo amor (II Pe.1:4).
Como participantes da natureza divina, o nosso Pai Celestial nos faz desfrutar de todo o seu amor: amor absoluto, imutável e intransferível.
Mas, como usufruir do melhor de Deus para as nossas vidas?
Submissão, obediência, entrega: comportamento de crianças dependente de seus cuidados.
I Pe.2:2 – “Desejai ardentemente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo.”
Nosso desenvolvimento depende da não resistência, voltando à condição de crianças que se lançam livremente nos braços do Pai, na certeza que serão amparados.
Lc.18:17 – “Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como menino, não entrará nele.”



Nenhum comentário: