quarta-feira, 23 de agosto de 2017

CONTABILIZANDO OS GANHOS



 A própria vida nos ensina que a medida que crescemos, tanto espiritualmente , fisicamente e monetariamente, sofremos perdas, mas não temos que nos reter nas perdas, mas sim nos ganhos.
Nascemos totalmente dependentes de nossas mães, para sermos nutridos, limpos e tratados. À medida de nosso crescimento, vamos aprendendo a nos libertar desta dependência a aos poucos perdendo o excesso dos cuidados maternais: vestimos, nos alimentamos e caminhamos sozinhos. Uma nova fase se anuncia: pois começamos a dialogar, ter certas vontades pessoais e a discernir qual é a nossa melhor opção. Nesta etapa do crescimento é  que mais necessitamos de orientação, pois é aí que se inicia a verdadeira formação do caráter é quando começamos a contabilizar os ganhos.
Pv.22:6 – “Ensina a criança o caminho que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele.”
A rebelião da adolescência tem como sentido o aprimoramento das escolhas. Bons amigos é o resultado de uma boa orientação.
Mais tarde vem a escolha da profissão e, quando estamos focados não só pelos sonhos, às vezes impossíveis, mas buscando primeiramente a direção de Deus, certamente creditaremos ganhos.
Mt. 6:33 – “Mas buscai primeiro o reino de Deus e a sua justiça, e todas as coisas vos serão acrescentadas.”
 A escolha do cônjuge também precisa de uma resposta vinda do coração de Deus, porque nem sempre aqueles que são despertados por uma paixão avassaladora é a pessoa certa. Perde-se na paixão, mas ganha-se no amor.
Todas as dificuldades que enfrentamos nos traz uma lição que nossas lutas não foram vãs; pois nos levam a valorizar o que temos, e mais uma vez, saímos ganhando. 

Nenhum comentário: