segunda-feira, 28 de agosto de 2017

REINANDO NAS PRISÕES



 Você acredita que somente os pássaros vivem em gaiolas?
Não é bem assim, talvez eles desfrutem de uma liberdade que nós mesmos não temos, talvez eles cantem até melhor...
Somos aprisionados por nossas dificuldades, por nossos preceitos e preconceitos.
Somos submetidos a vários tipos de prisões, tantas,  que nem suspeitamos. Nossos medos, nossas limitações e divergências nos aprisionam. Como gostaríamos de ter asas para voar, esquecendo nossos compromissos e obrigações, como fazem as águias com longos vôos, ao sabor do vento.
Na bíblia temos uma grande lição: a história de José:
Mesmo levando uma vida coerente com todos os padrões de Deus foi levado à prisão. Motivo: não quis trair seu patrão quando sua mulher tentou seduzi-lo. Durante o período que esteve preso, através de seu dom de interpretação de sonhos livrou um de seus companheiros da sentença de morte. Este homem demorou vinte anos para retribuir-lhe o benefício. Mesmo preso, sua determinação e seu perfil de retidão fez com que ajudasse os próprios carcereiros a administrar a prisão e a tomar conta dos demais presos.
Seu período de aprisionamento fez com que se tornasse ainda mais organizado e determinado a seguir seus próprios sonhos e visões, que teve desde a mais tenra infância. Este compasso de espera foi necessário para a sua preparação.
Dentro de um plano de construção ou de reforma, há sempre um tempo de espera.
A graça de Deus nos alcança através de nossa fé, fidelidade e perseverança. Um dos meios de libertação de nossas prisões é a oração.
At.12:11 – “Agora sei verdadeiramente que o Senhor me livrou das mãos de Herodes, e de tudo que o povo dos judeus esperava.”
Pedro estava preso e sentenciado à morte, mas os demais discípulos oravam incessantemente para a sua libertação, e as cadeias foram rompidas (At.12:6).
Não conseguimos enumerar os milagres que nos acontecem diariamente! Não damos conta, Deus cuida de nós! Imerecidamente recebemos sua atenção.
At.16:23 – “E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando aos carcereiros que os guardassem com segurança.”
Prenderam Paulo e Silas e mesmo sendo presos injustamente esta adversidade não os impediu de louvarem e adorarem ao Senhor e isto fez com que as portas da prisão fossem abertas.
At.16:26 – “E, de repente, sobreveio um tão grande terremoto, que os alicerces do cárcere se moveram e logo se abriram todas as portas, e foram soltas as prisões de todos.”
Nesta fração de tempo, através do louvor e da adoração os céus foram abalados e as prisões foram abertas.
Quando entramos em adoração, entramos no nível da ação de Deus e não há cadeia que resista. Isto é aprender a reinar, mesmo no período de aprisionamento.



Nenhum comentário: