quinta-feira, 4 de agosto de 2016

SALVAÇÃO FAMILIAR





 Gal.6:10 –“Então, enquanto temos  tempo, façamos o bem a todos, mas principalmente aos domésticos da fé.”
Domésticos da fé, significa aqueles que desfrutam de nosso viver diário, especialmente nossos familiares. Não devemos deixar de beneficiar a todos os que se aproximam de nós,  a caridade e  o amor é privilégio dos filhos de Deus, a nossa disposição de servirmos ao próximo tem que ser presentes em nossa vida, mas temos que dar atenção especial aos nossos queridos, pois muitos negligenciam os que são de sua casa, mas a ordem não pode ser invertida.
I Tim.3:5 – “Porque se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?”
Esta admoestação feita por Paulo a Timóteo tinha como objetivo alertar para o erro que muitos cometem: em favor dos próximos, mas não tão conhecidos, talvez para manter a fama de bonzinho, dão total razão para os outros que nem sequer merecem tal deferência. Precisamos entender quem não obedece a Deus guerreia contra ele.
At.16:27 –“E, acordando o carcereiro, e vendo aberta as portas da prisão, tirou a espada e quis matar-se, cuidando que os presos haviam fugido.”
O carcereiro temeroso das consequências se espantou ao ver que Paulo e Silas ainda se encontravam no recinto e , diante disto perguntou:
At.16:30,31 – “E, tirando-os para fora disse: Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar? E eles disseram: Crê no Senhor Jesus, e serás salvo, tu e a tua casa.”
O propósito do Senhor é familiar, ele não nos constituiu para sermos uma célula única, mas de comunhão e de união familiar, sabemos muito bem que uma andorinha sozinha não anuncia o verão.
 Crer que o Senhor se agrada de toda a união familiar  é a certeza que estamos sendo controlados  pelo seu Santo Espírito. A salvação está disponível a todos os que creêm.
Nossa certeza precisa estar alicerçada na Palavra de Deus.
Jo.15:l6 – “Não foste vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos nomeei a fim de que tudo o que pedirdes ao me Pai, em meu nome, eu vo-lo conceda.”



Nenhum comentário: