terça-feira, 14 de março de 2017

PASSANDO DE ESCRAVO A VOLUNTÁRIO




 Ex.21:5 – “Mas se aquele servo expressamente disser: Eu amo ao meu senhor, a minha mulher e meus filhos e não quero sair livre.”
A lei mosaica determinava que após um período de seis anos o servo seria libertado, mas muitas vezes estes se recusavam sair da presença do seu senhor, pois durante o tempo em que serviram haviam constituído família e não querendo apartar-se deles preferiam continuar servindo ao seu senhor, voluntariamente.
Ex.21:6 – “Então o seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao umbral da porta, e o seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela, e ele o servirá para sempre.”
O sétimo ano era considerado o ano da remissão, onde os estrangeiros, os endividados e os escravos eram livres, perdoados das dividas e abençoados. A ordem era:
Deut.15:18 – “Não sejas duro aos teus olhos, quando despedi-los libertos de ti; pois seis anos te serviu em equivalência ao dobro do salário do diarista, assim o Senhor teu Deus te abençoará em tudo o que fizeres.”
Mas havia sempre aqueles que criavam vínculos profundos com seus patrões e resolviam de moto próprio servi-los voluntariamente.
Deut.15:16 – “Porém se ele te disser: Não sairei de ti, porquanto te amo a ti, e a tua casa, por estar bem contigo.”
Ouso lhe perguntar: Qual é a sua situação no dia de hoje: Continua sendo servo querendo sair da presença do seu Senhor pois já se passaram seis anos, ou prefere continuar servi-lo voluntariamente?
Para continuarmos sendo servos voluntários recebemos uma marca: orelha furada marca que distingue dos demais porque a escolha foi espontânea, pois servo comum não fica para sempre na casa do Pai.
Jesus nos foi apresentado como servo:
Zac.3:8 – Ouve pois, Josué, sumo-sacerdote, tu e teus companheiros que se apresentam diante de ti, porque são homens portentosos; eis que farei vir o meu servo, o Renovo.
Jesus, o Renovo da Nova Aliança, veio ao mundo como servo.
Mt.12:18 – “Eis aqui o meu servo, a quem escolhi, o meu amado, em quem minha alma se compraz, porei nele o meu espírito e anunciará aos gentios o juízo.”
Jesus o fez voluntariamente, saindo da casa do Pai e habitando entre nós para fazermos parte de sua família. Deixou-nos um exemplo a seguir:
Mt.23:11 – “Porém o maior entre vós será servo.”
Fil.2:7 – “Aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens.”
É através da nossa vontade de vivermos uma nova vida que poderemos receber as marcas de nosso serviço voluntário: orelha furada.
Jô.15:15 – Já não vos chamo de servos, porque servo não sabe o que faz o seu senhor,  mas de amigos, porque tudo o quanto ouvi de meu Pai, vos tenho feito conhecer.”
O servo de orelha furada é propriedade eterna do Senhor e não aceita alforria, abre mão dos seus sonhos e de sua liberdade, não tem mais nome, não tem mais vontade própria. A sua vontade e fazer a vontade do Senhor é ter um coração sempre disposto a obedecer.
A escolha é individual e temos livre-arbítrio, o trabalho é espontâneo, voluntário.


Nenhum comentário: