domingo, 27 de novembro de 2016

MISERICORDIA DE DEUS



 Jo.9:1,2 – “E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença, e os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
A preocupação dos discípulos era genuína, pois haviam sido ministrados pelo Velho Testamento, através das leis mosaicas, que a punição de Deus seria manifestada até a quarta geração.
Ex.21:24 – “Olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.”
Sl.89:30 e 32 – “Se os meus filhos deixarem a minha lei, e não andarem nos meus juízos. Então visitarei com vara a sua transgressão, e a sua iniqüidade com açoites.”
No Velho Testamento a noção que Deus punia e se vingava, era gerada pela culpa de seus próprios pecados, pela rebeldia de um povo que havia recebido grandes sinais e maravilhas, e mesmo assim continuavam a pecar. Portanto temiam qualquer julgamento divino.
As leis eram disciplinadoras e rígidas, não obstante, a graça e a misericórdia de Deus eram visíveis.
Ex.34:7 – “Senhor Deus misericordioso, piedoso, tardio em irar e grande em beneficência e verdade; que guardas a beneficência em milhares; que perdoa a iniqüidade e a transgressão e o  pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até a terceira e a quarta geração.”
Esta foi a oração de Moisés, quando intercedeu pelo povo que havia se rebelado durante o tempo em que havia ficado no Monte Sinai, para receber as leis de Deus.
Nos tempos atuais, também vemos pessoas com grande medo de pecar criando leis e regras que não foram determinadas por Deus. Jesus, ao responder aos discípulos falou:
Jô.9:3 –“Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.”
Com isso Jesus quis explicar que os sinais e maravilhas ainda prevaleciam e que as misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos e se renovam a cada manhã (Lam.3:22).
Sl.89:33,4 – “Mas não retirarei totalmente dele a minha benignidade, nem faltarei com a minha fidelidade. Não quebrarei meu concerto, não alterarei o que saiu dos meus lábios.”
Pv.6:23 – “Porque o mandamento é lâmpada, e a lei é luz e as repreensões  da correção são o caminho da vida.”
Deus castiga a quem ama, a consciência culpada aponta para a coisa errada, mas não nos impede de fazer o mal. Muitas vezes precisamos ser corrigidos pelo Senhor!
Hb.12:11 – “E, na verdade, toda a correção, ao presente, não parece ser de gozo; senão de tristeza, mas produz fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.”
Precisamos estar cientes de que Deus está presente em todas as circunstâncias, mesmo quando questionamos seus planos, mesmo quando somos desobedientes e infiéis. Ele não muda, e será sempre o mesmo, de ontem de hoje, e eternamente.

Nenhum comentário: