segunda-feira, 3 de abril de 2017

A ESCOLHA DE DAVI




I Sam. 16:1,13 – “E convidarás a Jessé ao sacrifício; e eu te farei saber o que hás de fazer, e ungir-me-ás a quem eu te disser.”
Saul, o primeiro rei de Israel, ao desobedecer ao Senhor quando lhe deu ordem para total destruição dos amalequitas, perdeu seu reinado; e Samuel, o sacerdote, foi convocado para ungir o próximo rei. Ao chegar a Belém, Eliabe, filho primogênito de Jessé, veio ao seu encontro, e por isso, Samuel presumiu que este seria o escolhido, posto que já era homem de guerra, pertencente ao batalhão de Saul.
Depois de ter um encontro com os sete filhos de Jessé e o Senhor não aprovar nenhum deles, Samuel perguntou a Jessé:
I Sam. 16:12 – “Acabaram-se os mancebos? – Falta o menor e eis que está apascentando as ovelhas. Ao que Samuel falou: Manda-o chamar.”
Ao vê-lo, Samuel notou que era ruivo e formoso de semblante e de boa presença. E lhe disse o Senhor: Levanta-te, e unge-o, porque este mesmo é.”
O que levou o Senhor a escolher o filho mais novo de Jessé, despreparado para guerra, pastor de ovelhas, servo de seus irmãos (era ele quem levava comida para eles, enquanto enfrentavam as batalhas; e assim trazia notícias de todos ao seu pai)?
Geralmente os homens olham a aparência, mas Deus olha o coração!
Na palavra fala-se que Davi foi um homem segundo o coração de Deus.
As principais características de Davi eram ternura e cuidado, e o rebanho do Senhor precisa de pastores com estas qualidades.
A aproximação de Davi com Saul se deu quando este começou a ser atormentado por um espírito maligno, e foi aconselhado por seus criados a arrumar um tocador de harpa para acalmá-lo, e a pessoa escolhida foi Davi.
I Sam. 16:18 – “Eis que tenho visto a um filho de Jessé, o belemita, que sabe tocar, e é valente e animoso, e homem de guerra, sisudo em palavras, e de gentil presença.”
Mais uma vez são destacadas as qualidades de Davi: terno, amoroso, valente, animado, exercia autoridade, leal, amigo, determinado, destemido e fiel a Deus.
Davi demonstrou sua coragem diante do rei ao insistir em lutar com Golias, o gigante filisteu que afrontava a Deus e a seu povo. Para demonstrar que estava apto a enfrentá-lo, contou dois de seus feitos para convencer Saul a deixá-lo lutar:
I Sam. 17:34,36 – “Então disse Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai e vinha um leão e um urso, e tomava uma ovelha do rebanho; e eu saí após ele e o feri, e livrei-a de sua boca: e, levantando-se ele contra mim, lancei-lhe mão da barba e o feri, e o matei. Assim feriu teu servo o leão e o urso, assim será este incircunciso filisteu como um deles; porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo.”
Davi conquistou a confiança do rei, que providenciou sua armadura para o confronto com Golias. Desacostumado a usar tais paramentos, Davi os recusou, indo ao encontro de Golias apenas usando seu alforje, seu cajado, cinco pedras e sua funda, deixando seu adversário tremendamente irritado, que lhe disse:
I Sam. 17:43,44 – “Sou algum cão, para tu vires a mim com paus? Vem a mim, e darei a tua carne às aves do céu e às bestas do campo.”
I Sam. 17:45 – “Tu vens a mim com espada e com lança e com escudo, porém eu venho a ti, em nome do Senhor dos Exércitos de Israel, a quem tens afrontado.”
Devemos tomar como exemplo esta atitude de Davi, que não contou com suas próprias forças, mas lutou na força e no poder do nome do Senhor.
II Co. 10:4 – “Nossas armas não são carnais, mas sim poderosas em Deus, para a destruição de fortalezas.”
I Sam. 17:50 – “Assim Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra e o matou sem que tivesse uma espada na mão.”
Devido a este grandioso feito, Davi tornou-se um herói da nação, sendo aclamado pelo povo, ganhou simpatia do rei e de seus asseclas e principalmente de Jônatas, filho de Saul.
Depois disso, Davi foi ganhando espaço e conquistando diversas batalhas até despertar ciúmes e a ira do rei, que propôs em seu coração matá-lo.
I Sam. 18:17 – “Pelo que Saul disse a Davi: Eis que Merabe, minha filha mais velha, te darei por mulher: sê-me somente um filho valoroso, e guerreia as guerras do Senhor (porque Saul dizia consigo: Não seja contra ele a minha mão, mas a dos filisteus).”
Mesmo diante da perspectiva de ser morto por Saul, Davi não tentou revidar; apesar de ter tido duas oportunidades para matar o rei, ele não quis tocar no ungido do Senhor.
Sl. 105:15 – “Não toqueis nos meus ungidos, nem maltrateis os meus profetas.”
Os mandamentos de Deus sempre nortearam a vida deste homem segundo o coração de Deus. Quando Saul morreu, sabendo ser seu substituto legal (ungido), não deixou de prantear sua morte.
Davi tinha por princípio o amor e a fidelidade, deixando a justiça por conta do Senhor, qualidades inerentes a um servo de Deus. Embora tenha cometido pecados, era um homem que buscava a vontade perfeita de Deus. Sua influência foi marcante e seu reino foi estabelecido para sempre.
I Cr.16:14 – “Mas o confirmarei na minha casa e no meu reino para sempre, e o seu trono será firme para sempre.”
Davi foi um excelente músico e grande salmista. A maioria dos salmos foram escritos por ele (até o salmo 72). Como rei, foi justo, sempre protegendo os mais desvalidos. Guerreiro e militar valoroso, líder religioso sem igual, seu nome está na genealogia de Jesus.
Antes de reinar, esse homem escolhido por Deus foi tratado, testado, quebrantado e aprovado. Por ser submisso e obediente à vontade de Deus, foi honrado e estabelecido por todas as gerações futuras, porque sempre foi fiel e vigilante.
Jesus é descendente direto da casa de Davi.



Nenhum comentário: